Português Italian English Spanish

Ribeira do Pombal-BA: Fiscalização da SESAB identifica contratos superfaturados no Hospital Geral Santa Tereza administrado pelo COISAN

Ribeira do Pombal-BA: Fiscalização da SESAB identifica contratos superfaturados no Hospital Geral Santa Tereza administrado pelo COISAN


Uma fiscalização realizada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, deixa o ex-prefeito de Ribeira do Pombal(BA), em uma situação desconfortável. O ex-gestor Ricardo Maia Chaves de Souza, foi Presidente do Consórcio Interfederativo de Saúde Nordeste II – COISAN que administrou o Hospital Geral Santa Tereza, durante 4 anos. O COISAN é um consórcio INTERFEDERATIVO que dele fazem parte 15 cidades da região: Adustina, Antas, Banzaê, Cícero Dantas, Cipó, Coronel João Sá, Fátima, Heliópolis, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Paripiranga, Ribeira do Amparo, Ribeira do Rombal, e Sítio do Quinto.

De acordo a fiscalização da SESAB realizada no Hospital Geral Santa Tereza – HGTS, foi identificado diversas irregularidades e superfaturamento em contratos que causaram um rombo de mais de R$ 3 MILHÕES acusa oposicionistas pombalense de acordo com informações obtidas através de vídeos e documentos que circulam em rede social.

Dentre as irregularidades apontadas, está o contrato com (INSTITUTO CUIDAR E MELHORAR) que gere a folha de pagamento dos colaboradores (médicos e demais profissionais) com contrato de mais de 15 milhões anual.

A SESAB recomenda a necessidade de contratação dos servidores do HGST pelo regime CLT, e consequentemente rescinda o contrato com INTITUTO MUDAR E MELHORAR, que gere a folha de pagamento de pessoal e que obrigou estes profissionais de saúde e criarem empresas prestadoras de serviço/MEI. Todavia, isso fez com que o HGST gastasse muito mais, chegando-se a um déficit mensal de R$ 127.652,68, o que criou um rombo em 24 meses só com o pagamento de pessoal de R$ 3.063.664,23.

Foi identificado pela SESAB irregularidade no contrato com a empresa LABASC –LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS que foi pago só em 2020 a esta empresa a importância de R$ 300.000,00 mil. A fiscalização identificou, que o HGTS, faz análise laboratoriais no próprio hospital inclusive tem materiais comprados e profissionais contratados para este serviço, todavia pagou-se a esta empresa R$ 300.000,00 mil.

Foi identificado ainda na auditoria o superfaturamento em exames clínicos terceirizados realizados pelo HGTS a exemplo de hemodiálise pago ao Hospital do RIM, onde o SUS paga R$ 194,00 e o Hospital Geral Santa Tereza pagou R$ 800,00 pelo o mesmo exame, o que gerou um rombo de R$ 89.343,62 mil.

Foi constatado também compras de medicamentos com valores superfaturados com percentuais que chegam até a 72% (3X) superior ao comprado pela própria SESAB, causando prejuízo milionário só em medicamentos.

Há também irregularidades em vários serviços terceirizados onde-se recomenda a compra dos materiais pelo próprio hospital o que geraria economicidade.

Dessa forma, o déficit identificado pela SESAB de milhões de reais na auditoria é proveniente de contratos com valores superfaturados.

Nossa reportagem entrou em contato com alguns prefeitos inclusive, colegas de Sigla partidária do ex-prefeito. “Ricardo foi um desastre a frente do consócio. Sua atuação foi a mais perversa possívelEu lamento profundamente ele manchar seu nome dessa forma. Logo ele que vem buscando representar a Bahia, no congresso Nacional”, disse um prefeito do PSD que pediu reserva.

Mais uma vez a redação da rede Conexão Verdade, de forma imparcial como sempre, buscou contato por diversas vezes com o ex-prefeito Ricardo Maia, desta vem obtendo êxito. Localizado para prestar devidos esclarecimentos sobre rombo milionário causado no consórcio, Ricardo Maia nega qualquer rombo causado no consórcio. “Não existe rombo. Existe uma diferença que o estado falta repassar para o consórcio. Hoje a secretaria de saúde do estado vai se pronunciar em relação não existir auditoria". Quanto aos vídeos que circulam nas redes sociais, em especial o que aparece o vereador Pedro Mel(PP), Gordo de Dadá seu principal desafeto político. O ex-gestor diz não perder seu tempo olhando vídeos que segundo ele não tem qualquer fundamento. “Eles passaram 8 anos governando só inventando denúncias. Não tenho uma sentença, explica o ex-gestor. Eles denunciam, faço minha defesa, e espero julgamento” conclui o ex-prefeito Ricardo.

Questionado por nossa redação como o presidente da Sigla(PSD/BA) Senador Otto Alencar, tem reagido a essa desavença dentro da base regional o ex-prefeito Ricardo diz que o cacique está tentando intermediar uma paz entre ambos.

Em uma recente entrevista no rádio pombalense, Ricardo Maia chamou colegas prefeitos de golpistas. A redação do Conexão Verdade, o ex-gestor, reafirmou que alguns prefeitos que compõem consórcio INTERFEDERATIVO formado por 15 cidades, estes gestores deram de fato um golpe ao excluir o município de Tucano de participação do consórcio, revela Ricardo Maia.

Ricardo ainda explica que a policlínica recém construída em Ribeira do Pombal, só foi para região porque o município de Tucano saiu do consórcio CONSISAL - Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território do Sisal e fez a adesão ao COISAN explica Ricardo. Por outro lado prefeitos da região não aceitaram que Tucano, participasse do consórcio haja visto que o ex-prefeito Ricardo Maia tinha toda intensão em eleger o seu filho, (Ricardo Maia Chaves de Souza Filho/PSD) prefeito do município de Tucano como presidente do consórcio contou uma fonte a este portal.

O prefeito de Nova Soure-BA, Luís Cassio De Souza Andrade (Cassinho-PSD) vice-presidente do COISAN, não quis se manifestar sobre o assunto. Sem mais detalhes disse a nossa reportagem: "Os 12 prefeitos que estão insatisfeitos com a gestão do HGST decidiram que não se pronunciariam acerca do assunto através da imprensa por enquanto, mas estamos participando e tentando ajudar na solução dos problemas existentes" em depoimento a este veículo de comunicação. 

Fonte: Conexão Verdade

Foto: Google