Português Italian English Spanish

Quem não tem colírio usa óculos escuros. Por Adalvo Andrade

Quem não tem colírio usa óculos escuros. Por Adalvo Andrade

Às vezes, fico pensando que sou um dos mais infames brasileiros, principalmente, quando leio e ouço depoimentos de pessoas vítimas de perseguição políticas e de intimidação para calar a voz de quem está fazendo algo que seria atribuição não só do cidadão, como também da classe eleita com o voto popular para tal função.

Justificam-se que essas práxis políticas perseguidoras sempre ocorreram e são aceitas naturalmente.

O mais grave é saber que, justamente, membros da imprensa são coagidos a calar a voz dos que cobram transparência dos atos dos seus gestores.

A imprensa para mim é um prestador de serviços para a sociedade, mas em terras de Canabrava os meios de comunicações estão a serviço de um grupo político e não aceita que alguém levante a voz para questionar atos dos seus patrocinadores. Até mesmo um cidadão que, por hora, resolve exercer o papel de agente fiscalizador da transparência e do zelo pela coisa pública.

Isso nos faz lembrar a velha letra da música do sábio profeta Raul Seixas:

"Quem não tem colírio usa óculos escuros,

Quem não tem filé come pão e osso duro,

Quem não tem visão bate a cara contra o muro..."

Adalvo Andrade, blogueiro